Cabecalho2.png.orig
#gruemenu.grue

Tradutor

ptenfrdees

Petição

LOGO PETICAO PRECARIEDADE 250

Agenda

novembro 2017
D Sb
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2

Video

Visitantes

Temos 99 visitantes e 0 membros em linha

Patinter 06Abr2015Vale sempre a pena Lutar! Há algum tempo atrás os trabalhadores da Patinter,sa não acreditavam que seria possível melhorar a sua remuneração e reposição de direitos retirados.

Em Abril de 2014 o valor da Clª-74 foi reposto de €256,69 para €317,80 – Diferença de €61,11;

- Em Setembro de 2014 o valor das diuturnidades foi incluído no valor da Clª.74;

- Em Março de 2015 foi alterado o valor do Compl. Trab. Extraordinário, de €100,00 para €150,00;

- Em Junho de 2016 depois da decisão judicial defendida pelo STRUP/FECTRANS, foi então reposto parte do valor descontado da Clª.74;

 

Comunicado STRUP/Patinter

FadigaMata 4Out2016Conjuntamente com sindicLUSTa espanhóis das CCOOs, teve lugar, hoje, na fronteira uma acçao de sensibilizaçao dos motoristas do transporte rodoviário de mercadorias, onde se distribuiu o seguinte documento

documento distribuído

Este ano os sindiLafadigaMatacatos europeus de transporte rodoviário estão empenhados na "LUTA CONTRA O DUMPING SOCIAL", que nos leva a classificar de "ESCRAVIDÃO MODERNA" os abusos cometidos pelos empresários, e a deterioração dos salários e condições de trabalho das e dos trabalhadores dos Transportes e, conjuntamente com os sindicatos espanhóis das CCOO’s, vamos estar no dia 4 de Outubro, entre as 09 e as 11h, na fronteira de Vilar Formoso/Fuentes de Oñoro, numa acção de sensibilização, que termina com uma conferencia de imprensa.

Ler mais...

assediomoralA repressão sobre os trabalhadores, limitando-os no exercício dos seus direitos, que se designa como assédio é moral, é crime, como tem vindo a ser confirmado pelos tribunais e agora na coima de 43 mil euros à empresa transportes Nogueira, de Famalicão, que, ainda recentemente, foi objecto do protesto dos trabalhadores contra a prática repressiva dos patrões.

Ler mais...

TransportesNogueiraMaio 1 2105Trabalhadores da TN (Transportes Nogueira e FRT Cargo) estarão amanhã em greve, em defesa da aplicação dos direitos constantes no CCTV e contra o clima repressivo na empresa, manifestando assim, a sua solidariedade para com o trabalhador que protesta contra os sistemáticos processos disciplinares a que tem sido sujeito e, durante a greve realizar-se-á um plenário de trabalhadores em frente às instalações da empresa, em Famalicão, a partir das 10h, com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

ProtestoTransportesNogueiraOs trabalhadores do grupo TN (Transporte Nogueira e FRT Cargo) de Famalicão, em plenário realizado no sábado passado, decidiram reafirmar a greve no próximo dia 27 de Julho, pelo cumprimento do CCTV e de solidariedade com o trabalhador que, presentemente, protesta contra os sucessivos processos disciplinares a que tem sido sujeito, após a greve do ano passado em que foi um interveniente activo. Durante o período de greve, realizar-se-á um plenário em frente às instalações da empresa.

ProtestoTransportesNogueiraNa sequência de 3 processos disciplinares no prazo 14 meses, trabalhador da grupo T.N. (Transportes Nogueira, S.A. e FRT-Cargo, S.A.), de Famalicão, protesta à porta da empresa, depois de lhe ter sido aplicada nova sanção de 20 dias, reflectindo o clima de pressão sobre os trabalhadores de uma empresa que não cumpre o estipulado no CCT do sector, que os levou a desenvolverem uma luta prolongada no ano passado, pela defesa do seu Contrato Colectivo e contra a repressão laboral, na qual este trabalhador participou activamente.

Ler mais...

CCTVForcaLeiO patronato do sector privado de mercadorias, em tribunal, soma derrota atrás de derrota, no que concerne ao tema relativo ao pagamento previsto na cláusula 74ª e agora, num processo apoiado pelo STRUN, a empresa Luís Simões, viu o Supremo Tribunal de Justiça, confirmar uma condenação, reconhecendo que:

Ler mais...

CCTVForcaLei

Perante uma decisão do Tribunal da Relação, a Patinter e a ANTRAM recorrem para o Supremo Tribunal de Justiça, tendo este tribunal fixado a interpretação final de que as alterações ao valor do trabalho extraordinário não se repercutem no valor da cláusula 74º e, com esta decisão, mais uma vez foi derrotada a interpretação da Associação Patronal e das empresas do sector, que só têm que pagar a cláusula 74º como sempre pagaram, independentemente dos valores alterados pelo Código do Trabalho.

Comunicado Sector Rodoviário Mercadorias 01/2016

Informação por email

10º Aniversário

AlmocoComemorativo

Aplicação Telemóvel

Instale a aplicação FECTRANS para telemóvel. Use um leitor de QR code ou acesse AQUI pelo telemóvel

App

Parentalidade

parentalidade botao

Ponto Seguro

ponto seguro