#gruemenu.grue

Repudiar a pressão psicológica terroristas, na forma do anuncio da intenção de proceder ao despedimento colectivo dos trabalhadores que lutam, pelo cumprimento dos direitos constitucionais. Anuncio esse sem qualquer sustentação legal, já que o problema do porto de Lisboa não é o excesso de trabalhadores, mas sim a falta de trabalhadores com vínculos efectivos e o excessão de trabalhadores com vínculos precários;

Repudiar a acção de policial do dia de hoje, que tem como objectivo permitir a ilegalidade da substituição de trabalhadores em greve, para realizarem trabalho fora dos serviços mínimos, responsabilizando o Ministério da Administração Interna por promover ilegalidades e o não cumprimento do direito à greve legal e constitucionalmente consagrado;

Disponibilizar a estrutura da FECTRANS para a dinamização de todas as acções que o SECT considerar oportuna na defesa da luta dos trabalhadores estivadores do porto de Lisboa;

Apoiar e participar na manifestação de 16 de Junho, às 18 horas, em Lisboa – Cais do Sodré, denominada “Precariedade é escravatura”, e trabalhar para uma ampla mobilização dos trabalhadores do sector em apoio a esta luta contra o trabalho precário e pela defesa dos direitos dos trabalhadores.

Tradução

ptenfrdeitrues

Noticias do sector

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 156 visitantes e 0 membros em linha