manif19Outubro2013A FECTRANS reuniu, ontem, com o Secretário de Estado das Infarestruturas, a quem colocou um conjunto de questões relativamente ao sector dos transportes e comunicações tutelado por esta Secretaria de Estado.

Temas como a reversão da fusão da REFER com a IP, privatização da TAP e da CP-Carga, falta de trabalhadores em todo o sector, degradação e não cumprimento do serviço público de correios, contratação colectiva, políticas sectoriais, abertura do sector de “handling” a novos operadores, degradação do serviço ferroviário quer no material circulante e o esvaziamento da capacidade de operação da EMEF, fizeram parte da agenda da reunião, tendo o Secretário de Estado tomado nota e assumido esta reunião como uma primeira de um debate que tem que prosseguir, tendo-se concluído que, para prosseguir o trabalho, sem prejuízo de alguma respostas entretanto serem dadas, a FECTRANS irá apresentar na próxima semana, um “dossier” sistematizado sobre os problemas que pretendemos ver discutidos.

Relativamente aos temas colocados registamos como preocupação a falta de qualquer informação ou indícios de que há profundamente vontade de alterar os modelos e as práticas do anterior governo.

Sobre o processo de negociação com vista à reversão da privatização da TAP, foi-nos dito que é um processo, ainda sem resultados finais que conduzam à concretização da vontade manifestada pelo primeiro ministro, mas entretanto o consórcio vai montando o seu modelo de negócio em função dos seus interesses e não dos interesses do País.

Relativamente à IP e CP-Carga, não sendo nesta reunião adiantado nada de concreto, temos a declaração do Ministro numa reunião com a CGTP-IN, em que afirmou que o modelo da IP é para testar com a actual equipa de administração e que, relativamente, à CP-Carga, não está prevista a reversão do processo de privatização.

Tradução

ptenfrdeitrues

Protocolo

4º Congresso

Visitantes

Temos 124 visitantes e 0 membros em linha