DGreve4Junhoia 4 de Junho é dia de greve na CP, MEDWAY, TAKARGO em defesa da segurança ferroviária, pelo facto de não ter havido entendimento com o governo, quanto á questão central – a existência, no mínimo, de dois trabalhadores na tripulação nos comboios de passageiros e de mercadorias.

Esta é uma greve apenas contra a falta de abertura do Governo para resolver um problema que tem implicações profundas com uma questão central do transporte ferroviário, a sua segurança.

Como demonstram que um comboio apenas com um trabalhador é mais seguro do que com dois?

Para além desta pergunta central, à luza da realidade da nossa rede e do material circulante, colocam-se questões que não tiveram respostas, nomeadamente:

Que avaliação de risco foi feita desta medida e o seu impacto na segurança de pessoas (passageiros e trabalhadores) e bens?

Quem decide as situações de excepção e na base de que conhecimento real da infraestrutura, material, tipo de mercadorias, etc?

Quem fiscaliza o cumprimento daquilo que está estabelecido nos Regulamentos, tendo em conta que a situação do IMT é de falta de efectivos?

Que avalização se faz do elevado número de descarrilamentos em linhas/troços onde está previsto poder-se operar em regime de agente único?

Quem fiscaliza em condições em que circulam os comboios, em que por exemplo se sabe que a grande maioria das balanças ao longo da linha estão desactivadas?

O processo de negociação tem que ter em conta toda esta realidade e não se pode desvalorizar um elemento central no transporte ferroviário – a segurança.

É na base disto que temos que fazer qualquer discussão sobre a questão da nova regulamentação da segurança ferroviária.

Tradução

ptenfrdeitrues

Na Estrada da Luta

Boletim Na Estrada da Luta Numero 02 de Maio de 2019

4º Congresso

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 96 visitantes e 0 membros em linha