PELA MODERNIZAÇÃO DA LINHA DE CASCAIS E DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTESA linha ferroviária de Cascais tem sido alvo de um grande desinvestimento nos últimos 20 anos. Esta situação está a ter repercussões a vários níveis e são sistemáticas as avarias no material circulante que colocam em causa a segurança e afectam a já diminuta oferta de comboios previstos. A situação só não é mais grave porque os trabalhadores da EMEF e da CP têm conseguido reduzir os impactos negativos da falta de investimento na infra-estrutura e material circulante da linha de Cascais. Acresce a supressão dos comboios de São Pedro e a redução do número de comboios fora das horas de ponta e ao fim de semana. Esta situação tem contribuído para a degradação da qualidade do serviço prestado, considerando que os passageiros, em hora de ponta, deparam-se com carruagens cheias e sem lugares sentados, piorando ainda mais a segurança dos utentes.

Os sucessivos governos têm responsabilidade na degradação desta linha e têm tido como objectivo a sua privatização. A linha de Cascais é uma das linhas mais rentáveis da CP e é o único transporte público estruturante para as populações e trabalhadores de Oeiras e Cascais, para além da importância que assume para a zona ocidental da cidade de Lisboa. É neste contexto que a União dos Sindicatos de Lisboa, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário, a FECTRANS e o MUSP, vão realizar, no dia 17 de Fevereiro, uma acção de sensibilização e denúncia junto dos utentes da linha de Cascais. Apelamos a todos que se façam representar nesta iniciativa a partir das 17h00, pela modernização da linha de Cascais e defesa do serviço público.

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

Visitantes

Temos 275 visitantes e 0 membros em linha

Protocolo