NovoComboioAlfaOntem a CP anunciou o inicio da renovação dos comboios Alfas Pendulares, que já esteve anunciada para ocorrer em 2014, num investimento de 18 milhões, a ser feita nas oficinas da EMEF.

Entendemos que não podia ser doutra forma, já que a EMEF é a empresa da CP para garantir a manutenção, conservação e reparação do material circulante, mas devido ao esvaziamento que temos assistido, a pergunta que se deixa é: com que EMEF vai ser feita esta intervenção?:

Com uma EMEF sem os trabalhadores necessários para responder às exigências do dia a dia e com o aparecimento de empresas de trabalho temporário para colmatar os trabalhadores em falta?

Com uma EMEF que continua, cada vez mais, a recorrer a contratação externa, com argumento de falta de trabalhadores, mas que, entretanto, deixa trabalhadores subaproveitados?

Com uma EMEF com os constrangimentos legais na aquisição de materiais, que está a originar problemas actuais na reparação do material circulante do Metro do Porto, não por falta de capacidade, mas por falta de medidas de gestão que respondam às necessidades?

Com uma EMEF que para fazer esta intervenção nos comboios ALFA, no essencial dê o nome e tenha que recorrer a muita contratação externa?

A EMEF tem capacidade e competências para dar respostas às necessidades de modernização do material circulante ferroviário e para garantir a sua qualidade, segurança e fiabilidade, mas precisa de opções políticas que lhe garanta os meios humanos, técnicos, financeiros para cumprir com a sua função

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

Visitantes

Temos 205 visitantes e 0 membros em linha

Protocolo