AutocarroTransdevA FECTRANS reuniu ontem com a administração da Transdev em Portugal, onde foi discutido a situação dos trabalhadores nas empresas deste grupo e a responsabilidade do grupo no conflito laboral nas empresas da Rodoviária do Tejo.

De concreto o que resultou desta reunião foi a marcação de outras reuniões para começar e continuar as negociações na RBL – Rodoviária da Beira Litoral e REDM – Rodoviária de Entre Douro e Minho respectivamente.

Quanto aos outros temas, houve convergência de opiniões quanto ao facto de os salários serem baixos nas empresas deste grupo em particular, mas quanto ao seu aumento e nos termos que pela FECTRANS é defendido, é difícil porque há os custos de combustível, os custos de produção, remetendo toda esta discussão para o âmbito da ANTROP, onde esperam que haja propostas de aumento superiores à inflação e à actualização tarifária, mas que, na nossa opinião, não alteração a realidade de salários baixos.

Pela nossa parte foi dito que aguardamos que, a Transdev, enquanto membro da ANTROP, intervenha para o processo negocial com a FECTRANS seja aberto.

Quanto às responsabilidades deste grupo no conflito laboral nas Rodoviárias do Tejo, Oeste e Lis, transmitiram a informação que apenas detêm 25,42% do capital social da Rodoviária do Tejo, pelo que não determinam as decisões nesta empresa, quem o determina é quem tem a maioria do capital e consolida os resultados, ou seja, o grupo Barraqueiro que tem 50% do capital social e que consolida as contas no seu relatório de contas.

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

Visitantes

Temos 106 visitantes e 0 membros em linha

Protocolo