GreveCarrisTurMar201611Perante o anúncio do fim dos tectos salariais dos administradores públicos, no caso da caixa Geral de Depósitos, foi enviado ao primeiro-ministro, pelo STRUP, uma carta aberta, questionando acerca da diferença de critérios relativamente aos trabalhadores da CarrisTur, a quem foi reduzido o salário, com o argumento que são uma empresa so sector público.

 Carta Aberta ao Primeiro-Ministro António Costa

Porque dá o Governo aos administradores da CGD o que rouba aos trabalhadores da CarrisTur?

Caro Sr. Primeiro-Ministro,

Como sabe, a Administração da CarrisTur, nomeada pelo seu Governo, em Fevereiro de 2016 baixou os nossos salários de 630 para 560 euros, com o extraordinário argumento de que a CarrisTur não podia estar a aplicar o CCTV assinado entre a ANTROP (a patronal onde está inscrita a nossa empresa) e o nosso Sindicato (o STRUP/FECTRANS/CGTP-IN) porque o Orçamento de Estado não permitia aumentos das remunerações.

É assim que trabalhamos numa empresa associada da ANTROP, onde nos são aplicados os direitos constantes da contratação colectiva da ANTROP, mas onde ganhamos menos 70 euros que qualquer outro trabalhador das rodoviárias privadas de passageiros. A evidente distorção das regras da concorrência, e a evidente violação da contratação colectiva não foram suficientes para até hoje o seu Governo alterar a postura, e continuamos a ser descriminados e roubados no salário.

Lemos, entretanto, que o Governo aprovou no último Conselho de Ministros uma alteração legislativa para que os Administradores da Caixa Geral de Depósitos deixem de estar abrangidos pela lei dos Gestores Públicos e pelas restrições do Orçamento de Estado, para poderem ver os seus ordenados Mensais aumentados de 16 000 para 40 000 euros.Ora, o aumento mensal que o Governo acaba de autorizar a um único administrador (24 000 euros de acordo com a imprensa) é

mais do dobro que aquilo que o Governo tem dito não poder pagar ao conjunto dos 167 trabalhadores da CarrisTur (70x167=11690). E como aquele administrador não há-de ser o único a aumentar o seu salário, é mais que provável que aquilo que nos é roubado num ano não chegue para pagar um mês de aumentos ao basto número de membros do Conselho de Administração da CGD.Com o aumento decidido para os Administradores da CGD o seu Governo acaba de d

emonstrar ser falso tudo o que nos têm dito para justificar o que nos têm roubado: Afinal há dinheiro e é possível pagar. Portanto, a única pergunta que lhe queremos fazer é esta:

Quando vai o Governo mandar a Administração da CarrisTur cumprir o CCTV assinado entre o STRUP e a ANTROP?

Aguardando uma resposta concreta,

Lisboa, 15 de junho de 2016

Os trabalhadores da CarrisTur                                                                       

Tradução

ptenfrdeitrues

Protocolo

4º Congresso

Visitantes

Temos 177 visitantes e 0 membros em linha