CabecalhoSiteFectrans3.png
#gruemenu.grue

Tradutor

ptenfrdees

Agenda

janeiro 2018
D Sb
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3

Video

Visitantes

Temos 72 visitantes e 0 membros em linha

LutaEMEF2014Correspondendo à reivindicação de que trabalhador precário a ocupar posto de trabalho permanente, deve ser trabalhador efectivo, a administração da EMEF acaba de passar a efectivos os trabalhadores com vínculo precários na oficina de Guifões, medida que consideramos positiva, mas que não pode constituir uma excepção à regra que se está a implementar que, em vez de se admitirem os trabalhadores necessários, opta-se pela admissão de trabalhadores precários através de empresas de trabalho temporário.

LutaEMEF2014Em defesa da EMEF o SNTSF/FECTRANS e a Comissão de trabalhadores da EMEF vão realizar, no próximo dia 4 de Abril, uma concentração de activistas sindicais e membros da CT, em frente à sede da CP, para exigir que sejam adoptadas as medidas necessárias para garantir que a EMEF se desenvolva e garanta o seu papel fundamental para um transporte ferroviário de qualidade, seguro e fiável.

Comunicado SNTSF e CT da EMEF

CP MSCA empresa CP-Carga não nasceu na data da sua privatização, ela tem atrás de si, mais de um século de actividade ferroviária e o seu principal activo são centenas de ferroviários, que transitaram da CP com a sua capacidade profissional e que, diariamente, asseguram o normal funcionamento da empresa e dão a cara pela mesma.

Comunicado SNTSF

CP MSCO sindicato esteve reunido com a administração da CP Carga no passado dia 2 de Março, onde não foram respondidas as questões de fundo que tinham sido colocadas na reunião anterior. Os problemas dos trabalhadores no passado tendem a persistir no futuro.

Comunicado SNTSF

forum ferroviario Mar 2016A cegueira neoliberal, e outras cumplicidades menos cegas, têm levado os sucessivos governos a colaborarem activamente na destruição do Aparelho Produtivo Nacional, sendo essa uma das razões para a situação que o país atravessa. Quando a prioridade passa a ser «assegurar a sustentabilidade económico-financeira e melhoria do EBITDA», e a esta prioridade se sacrifica tudo, desvaloriza-se inevitavelmente a verdadeira prioridade do sector ferroviário: assegurar o transporte de passageiros e mercadorias, em segurança, com elevados níveis de conforto e fiabilidade, contribuindo para a mobilidade e para a criação de riqueza em Portugal, foi uma das conclusões do debate hoje realizado, com a participação de uma ventena de ferroviários, num Fórum denominado “caminho de ferro, regresso ao futuro”.
Documento de trabalho

FerroviaA FECTRANS respondendo ao apelo das Comissões de Trabalhadores do sector (CP, CP-Carga; EMEF e IP) decidiu aderir à iniciativa que se vai realizar dia 3 de Março, denominado Fórum Ferroviário – “Ferrovia – Regresso ao Futuro”, que realiza no auditório da IP no Pragal.

TribunaPublica LinhaCascaisA Fectrans e o seu Sindicato Ferroviário, a USL, o MUSP e as Comissões de Utentes, desenvolveram, hoje, uma acção com o objectivo de chamar a atenção para a contínua degradação do serviço ferroviário na linha de Cascais, que findou com uma Tribuna Pública na estação do Cais do Sodré, onde se ouviram intervenções das diversas das organizações presentes, tendo terminado com uma intervenção do Secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

AmPELA MODERNIZAÇÃO DA LINHA DE CASCAIS E DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTESanhã, dia 17, pelas 17 horas, na estação do Cais do Sodré a FECTRANS, a USL, o MUSP e as Comissões de Utentes da linha de Cascais, realizarão uma acção de protesto pela degradação do serviço ferroviário e em defesa do serviço público na linha de Cascais, que contará com a presença de Arménio Carlos secretário-geral da CGTP-IN.

PELA MODERNIZAÇÃO DA LINHA DE CASCAIS E DEFESA DO SERVIÇO PÚBLICO DE TRANSPORTESA linha ferroviária de Cascais tem sido alvo de um grande desinvestimento nos últimos 20 anos. Esta situação está a ter repercussões a vários níveis e são sistemáticas as avarias no material circulante que colocam em causa a segurança e afectam a já diminuta oferta de comboios previstos. A situação só não é mais grave porque os trabalhadores da EMEF e da CP têm conseguido reduzir os impactos negativos da falta de investimento na infra-estrutura e material circulante da linha de Cascais. Acresce a supressão dos comboios de São Pedro e a redução do número de comboios fora das horas de ponta e ao fim de semana. Esta situação tem contribuído para a degradação da qualidade do serviço prestado, considerando que os passageiros, em hora de ponta, deparam-se com carruagens cheias e sem lugares sentados, piorando ainda mais a segurança dos utentes.

FusaoREFER EPNuma recente reunião, o presidente afirmou que a IP é um modelo de negócio, tendo por estratégia a venda do património e transformação de património ferroviário em hotéis, é nesse contexto, que o governo anuncia a venda da IP-Telecom. É este modelo que o Ministro da Tutela diz que é para testar, quando o que seria normal, num quadro em que se necessitam de mudanças efectivas, que a óptica fosse da gestão destas infraestruturas, numa lógica de serviço público estratégico e dinamizador do desenvolvimento integral do País. Temos que enfrentar este modelo com determinação e combatividade e, por isso, o reforço sindical é determinante, com o reforço do SNTSF, a luta dos trabalhadores ganhará mais força.

Comunicado SNTSF

Informação por email

Aplicação Telemóvel

Instale a aplicação FECTRANS para telemóvel. Use um leitor de QR code ou acesse AQUI pelo telemóvel

App

Parentalidade

parentalidade botao

Ponto Seguro

ponto seguro