CabecalhoSiteFectrans4.png
#gruemenu.grue

Tradutor

ptenfrdees

Petição

LOGO PETICAO PRECARIEDADE 250

Agenda

novembro 2017
D Sb
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2

Video

Visitantes

Temos 68 visitantes e 0 membros em linha

APAs ConcentracaoOs Assistentes de Portos e Aeroportos - APAs, em serviço nos aeroportos, estarão em greve entre os dias 13 e 17 de Maio, em luta pela negociação de um Contrato Cilectivo que reflita a realidade específica deste sector que garante a segurança dos aeroportos e dos passageiros.

Ler mais...

APAs ConcentracaoOs trabalhadores responsáveis pela segurança nos aeroportos – Assistentes de Portos e Aeroportos – iniciaram, hoje uma greve parcial de cinco dias, em protesto pela falta de resposta aos seus problemas e reivindicações e concretização dos compromissos por parte do governo.

Ler mais...

Portway TrabalhadorConsiderando a postura de “terrorismo social” adoptado pela Vinci/Portway desde há alguns meses a esta parte, pressionando, ameaçando e abusando dos trabalhadores, particularmente os associados do SITAVA e os não sindicalizados, concretizado através da alteração de horários, retirada de dias de descanso e de remuneração variável, etc, etc… e não obstante todas as iniciativas legais a desenvolver, consideramos ser da maior importância dar condições imediatas aos trabalhadores para resistirem e lutarem pelos seus direitos.

 

Comunicado SITAVA/Portway

GreveAPAsDez2016Os trabalhadores do Handling (SPdH/Groudforce e Portway/Vinci) dos aeroportos irão estar em greve nos dias 28, 29 e 30 de Dezembro e os APAs – Assistentes de Portos e Aeroportos (Securitas e Prossegur) nos dias 27, 28 e 29 e, promovidas peloo Sindicato da CGTP-IN no sector, o Sitava, que emitiu o seguinte esclarecimento:

Ler mais...

MarchaHandling Maio2106Nestas últimas duas semanas a Vinci/Portway tem levado a cabo uma perseguição sem precedentes aos trabalhadores que legalmente se recusam a aceitar o AE da escravatura assinado entre a empresa e os seus lacaios. Mudaram ilegalmente horários e têm transmitido (sempre verbalmente, porque são cobardes para o assumirem por escrito), que os trabalhadores que resistem ao seu terrorismo social vão ser regidos pelo Código de Trabalho tendo de cumprir 40 horas de trabalho, um só dia de descanso semanal e que ficarão sem algumas componentes remuneratórias. Tudo isto como já foi dito pelo SITAVA nos inúmeros comunicados que publicámos, bem como confirmado por vários juristas e até pelo Ministério do Trabalho é ILEGAL!

 

Comunicado SITAVA/Vinci-Portway

ManifTapNa sequência de contactos anteriores, o SITAVA foi convocado para uma reunião com o Secretáriode Estado das Infraestruturas, no passado dia 30 de novembro, com o objectivo de nos transmitir que o Governo vai, ainda este ano, fazer o anúncio da OPV aos trabalhadores. Esta operação é, segundo o Governo, indispensável para se poder encerrar esta já extensa “novela” e, finalmente, proceder à anunciada reversão, ainda que parcial, do processo de privatização do Grupo TAP.
 
SPdH ConcentracaoANAC5Dez2016Na sequência do plenário de trabalhadores do handling (Groundforce e Portway), foi decidido, por unanimidade, a marcação de 3 dias de greve para os dias 28, 29 e 30 de Dezembro, fruto da instabilidade que se continua a viver no sector, que poderá levar no curto prazo, à perda de milhares de postos de trabalho. Esses 3 dias de greve serão ratificados em Plenário a realizar no dia 26 de Dezembro.
 

MarchaHandling Maio2106Como todos sabem, foi anunciada a venda das Lojas Francas à Vinci. Essa venda estava no projecto da BCG, e demonstra claramente que o projecto está em execução e a todo o vapor. O projecto da BCG que visa transformar a TAP numa low cost, em que os trabalhadores sejam também eles low cost. Sabemos o que o projecto prevê para o handling e isso é altamente preocupante. O governo nada faz, escudando-se na falta de decisão da ANAC...

 

Comunicado SITAVA/SPdH

ManifTapO anúncio do acordo celebrado entre a TAP e as empresas Vinci e Dufry, para a venda de 51% da Lojas Francas de Portugal à multinacional Vinci, mantendo o outro acionista a mesma cota, demonstra que a gestão privada opta pela venda de activos lucrativos, para garantir entrada imediata de capital sacrificando assim lucros futuros. Já agora, era bom que fossem tornados públicos os valores envolvidos, ou têm receio que os trabalhadores saibam que o que agora vão encaixar, é superior ao que pagaram pela privatização de todo o Grupo?

 

Comunicado SITAVA/TAP

Informação por email

10º Aniversário

AlmocoComemorativo

Aplicação Telemóvel

Instale a aplicação FECTRANS para telemóvel. Use um leitor de QR code ou acesse AQUI pelo telemóvel

App

Parentalidade

parentalidade botao

Ponto Seguro

ponto seguro